publicidade
Domingo, 18 de Junho de 2017 - 21h20
Incêndio de grandes proporções deixa rastro de mortes e destruição em Portugal

Nova News
Tragédia vitimou diversas pessoas.

Um incêndio florestal de grandes proporções matou 61 pessoas e deixou 59 feridos em Pedrógão, região central de Portugal, neste sábado (17). Inicialmente, as autoridades portuguesas disseram que eram 62 vítimas fatais, mas o número foi revisto. O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, disse que houve um caso de registro duplicado, mas, segundo ele, "é provável que volte a subir".

De acordo com agências internacionais, parte das vítimas passava de carro na estrada que liga Figueiró dos Vinhos a Castanheira de Pêra quando foi surpreendida pelo fogo. Os veículos foram atingidos pelas chamas e os ocupantes morreram carbonizadas. A tragédia com fogo já é uma das maiores do país em décadas.

Segundo o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, além das vítimas carbonizadas, há pessoas que morreram após inalar a forte fumaça do incêndio.

Em seu primeiro pronunciamento, ainda no sábado, Gomes havia divulgado o número total de 19 mortos até aquele momento: — Temos a confirmação de 19 mortos, todos civis. Três faleceram por inalação de fumaça e 16 calcinados em seus carros quando foram cercados pelas chamas na estrada entre Figueiro dos Vinhos e Castanheira de Pêra.

O número atualizado de mortos foi aumentando no decorrer da madrugada deste domingo (18): pelo menos 61 pessoas morreram no incêndio. Entre os 59 feridos estão bombeiros que participavam do combate às chamas. Dois bombeiros são considerados desaparecidos até o momento.

O incêndio atingiu uma área montanhosa, a 200 km a sudeste de Lisboa, em meio a uma intensa onda de calor e ventos fortes.

Deixe seu Comentário
publicidade
publicidade
Desenvolvido por: Ribero Design